Geral

Rúben Rua relembra casamento com Sofia Ribeiro, que durou APENAS 4 meses

Rúben Rua é o grande destaque da revista ‘Cristina’, deste mês, e as revelações já começaram a aparecer. Ficamos a saber que ele soube primeiro que o Goucha que a Cristina ia para a SIC (aqui).


Falou ainda do casamento com Sofia Ribeiro que durou apenas quatro meses, «A Sofia foi a minha primeira namorada. Foi o meu primeiro grande amor (…) Foi a primeira namorada que apresentei aos meus pais (…) Foi o amor da minha vida (…) Foi tudo muito intenso. Muito apaixonado. Foi também difícil. Conheci a Sofia numa quarta-feira e vim para a Lisboa numa sexta-feira. Eu morava no Porto», conta.

«Acho que estávamos em fases opostas da nossa vida. Imagina, eu era modelo e viajava. Deixei de viajar para ficar com ela. Ou seja, a minha vida passou a ter um vazio. Um modelo internacional, subitamente, mora em Lisboa com a Sofia. Mas os pais moram no Porto. Os amigos moram no Porto. E eu estou em Lisboa por amor. Profissionalmente, passo a trabalhar menos. Passo a ganhar menos», disse.


«Acho que éramos os dois imaturos. Éramos muito novos (…)Eu era um miúdo e a Sofia também (…) O fim foi muito difícil. Acho que o ponto final foi muito libertador. O dia em que me separei foi um dia libertador, porque as coisas chegaram  a um ponto em que já não faziam sentido. E foi um dia que foi adiado duas vezes. Eu estive para não me separar duas vezes, com a Conservatória marcada. Cancelei duas vezes no próprio dia. Cancelámos os dois, porque gostávamos tanto um do outro, que lutámos até ao fim».

Garante ainda que depois começou a ser conhecido pelo namorado da Sofia e depois o Marido, «Era o namorado da Sofia, depois era o marido da Sofia. Quem é que sabia que eu tinha desfilado para a Dolce &Gabanna? Ou para o Jean-Paul Gaultier? (…) Ninguém sabia. (…) Eu casei-me e passado, quatro meses, estávamos em casas diferentes (…) divorciei-me passado um ano e tal (…) No dia em que me separei, fi-lo com certeza».


A separação provocou um sofrimento em si e na sua família,«Sofri com isso. E a minha família sofreu com isso também. Obviamente que a Sofia e os seus também sofreram. (…). Os ressentimentos ficaram, as cicatrizes continuam e vão sempre continuar, e houve uma aprendizagem».

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo