Home / Geral / O Natal dos ex-concorrentes

O Natal dos ex-concorrentes

Todos os ex-concorrentes da Casa dos Segredos têm algo em comum: a importância que dão ao Natal e à família.

Alguns estiveram apenas dias, outros várias semanas. Mas os ex-concorrentes de Casa dos Segredos 3 têm algo em comum: a importância que dão ao Natal e à família. A Nova Gente juntou-os num encontro repleto de sorrisos, numa ceia muito especial.

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

SANDRA
Um dos grandes desejos de Sandra Costa é que este ano o Pai Natal lhe traga “um pópó novo”. A jovem de Lousada tem muitas saudades de conduzir. Como em anos anteriores, Sandra está a passar a época natalícia com os pais e irmãos numa mesa recheada de doces, comida feita pela mãe, sem nunca esquecer o delicioso bacalhau, que diz ser o seu prato favorito nessa altura. Para ela o Natal tem tudo que ver com dar e receber: “Espero dar muitos presentes às pessoas que mais gosto e gastar algum dinheiro em coisas para mim.”

HÉLIO

Sempre alegre e bem-disposto, é assim que Hélio se define. Claro que para o ex-concorrente a quem o medo é uma cena que não lhe assiste, as prendas de Natal têm de ser especiais. Por isso mesmo, espera que o Pai Natal lhe traga algo diferente, por exemplo, “um bigode igual ao do Toni. Isso é que era!”. Nesta época quer estar com a família, e com os sobrinhos, e não se esquece que devemos partilhar.

DANIELA
Geralmente, o Natal de Daniela é passado em família. Mas não só com a sua, uma vez que os familiares do namorado costumam estar presentes em sua casa. Este ano Daniela não deverá passar esta época – que considera “das mais bonitas do ano e ótima para estar à mesa a conversar com quem mais gosta” – com a sua irmã gémea, Nicole, que irá passar um Natal a dois com Bruno. “Na mesa da consoada não podem faltar os doces, como aletria e rabanadas”,  confessou a ex-concorrente.

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

NICOLE E BRUNO
Depois de terem assumido o namoro em público, Nicole e Bruno já começam a pensar em fazer uma vida a dois. Para que isso possa acontecer, o mais importante é que consigam “arranjar um trabalho estável que nos dê dinheiro para podermos concretizar os nossos sonhos”. Este dia deverá ser passado a dois, com champanhe à mistura. Na verdade, para Bruno, a comida “é um pouco indiferente. Gosto de tudo e a Nicole também”. O jovem feirante sempre esteve com a família nessa altura, portanto considera que o que difere de ano para ano são os presentes.