Home / Gossip / Cláudio Ramos fala da semana sem Cristina Ferreira “Entrei na casa a medo”

Cláudio Ramos fala da semana sem Cristina Ferreira “Entrei na casa a medo”

Durante a passada semana, Cláudio Ramos esteve a substituir Cristina Ferreira, que ao fim de quatro meses, teve umas merecidas férias.


A semana não foi fácil para Cláudio Ramos, que apesar de ter vencido todos os dias, acabou por encurtar a distância para Manuel Luís Goucha, que chegou mesmo a ganhar na batalha das audiências, durante algumas horas.

Este domingo de Páscoa, dia 21 de Abril, o “vizinho” de Cristina Ferreira fez uma publicação nos eu blog, a falar sobre esta semana.

“… Fechou-se a porta para o fim de semana. Segunda feira é aberta pela Cristina que a casa é dela, mas eu não posso deixar de agradecer a todos os que torceram para que cada vez que eu ali entrasse corresse bem. Um programa de televisão como ‘O programa da Cristina’ tem uma identidade própria, tem uma narrativa muito especial e é impossível de ser levado em frente sem a sua mentora” começou por dizer o irmão de Luís Nascimento.


“(…) Entrei na casa a medo porque a dona não estava lá e é preciso respeitar o espaço de quem confia em nós. (…) Cada vez que a abria pensava na Cristina, pensava no que diria, no que faria, nos gestos com que sublinharia cada palavra que diria… pensava nela, porque é a casa dela. Pensei em mim porque me confiou a chave de casa e eu tinha que fazer bem, tinha de receber bem, escutar bem, perguntar bem” prosseguiu.

“A casa é grande. Ficou enorme sem a sua presença. No meio do rebuliço a que acostumamos quem assiste todos os dias, percebe-se a sua ausência porque um grito seu vindo do quarto ocupa o resto do espaço. Porque uma gargalhada sua dada na cozinha se escuta e contagia. Porque cada conversa tida na sua sala é escutada no tom certo… Tenho de lhe perguntar, quando chegar, se encontrou a casa como queria e se a vizinhança teve razões de queixa de quem tomou conta dela”, acrescentou, confessando ter sido uma semana “cheia de expectativas, de muito trabalho, pouco sono, entrega total e absoluta dedicação”.


“O que me fica é o carinho de quem em sua casa nos viu com atenção”, diz, sublinhando a “enorme noção de responsabilidade”. “Não há como agradecer a confiança que me deram e o apoio que nunca faltou. E tal como disse na sexta feira antes de fechar a porta, fiquei feliz porque a Cristina me deixou as chaves de casa mas serei grato a vida toda por cada gesto de afecto, mensagem de incentivo e por me terem visitado a semana toda mesmo sabendo que a dona da casa não estava lá”, afirma, finalizando com um “Obrigado a todos. De coração!”