Gossip

Ângelo Rodrigues desabafa sobre os tempos de quarentena

À semelhança de grande parte da população, Ângelo Rodrigues está em isolamento social. Nas redes sociais, o ator tem estado especialmente activo, e decidiu partilhar uma reflexão com quem o segue.


Se o Jardim Zoológico soltasse todos os animais, ia achar graça ver um flamingo na Torre de Belém. Talvez uma inversão da hierarquia da cadeia alimentar acelerasse o nosso processo de adaptação a estes novos tempos”, começou referir o ator.

“Escrevo-vos do terraço da minha casa. Por aqui, o sol tem colmatado o desânimo que o horizonte deixa avistar. São tempos atípicos de confinamento que parecem redefinir a forma como interagimos e isso é curioso. Agora aguardo à porta por testemunhas de Jeová só para trocar uma ideia, porque finalmente tenho tempo para ouvir a palavra do Senhor”, acrescentou.


Dei por mim a esconder todo o álcool que tinha em casa, para depois procurar por ele e celebrar como se estivesse a sair à noite; dei por mim a pensar que a bifana que como na roulotte quando saio do Lux saberá muito melhor, porque finalmente quem cozinha lavou as mãos; dei por mim a pensar que se fizer um cocktail de cebola e alho e me barrar com ele mantenho a distância social de segurança”, escreveu o ator, dedicando as últimas frases ao presidente Brasileiro.

“Também dei por mim a ver o discurso escatológico que fez Jair Bolsonaro e a pensar que há verborreia que nem a Dodot patrocina. Bolsonaro parece a blogueira que ignora esta pandemia como o elefante rosa que apareceu na sala. ‘A estupidez coloca-se na primeira fila para ser vista; a inteligência coloca-se na rectaguarda para ver’, já dizia Bertrand Russel”, concluiu.


View this post on Instagram

Se o Jardim Zoológico soltasse todos os animais, ia achar graça ver um flamingo na Torre de Belém. Talvez uma inversão da hierarquia da cadeia alimentar acelerasse o nosso processo de adaptação a estes novos tempos. Escrevo-vos do terraço da minha casa. Por aqui, o sol tem colmatado o desânimo que o horizonte deixa avistar. São tempos atípicos de confinamento que parecem redefinir a forma como interagimos e isso é curioso. Agora aguardo à porta por testemunhas de Jeová só para trocar uma ideia, porque finalmente tenho tempo para ouvir a palavra do Senhor. Dei por mim a esconder todo o álcool que tinha em casa, para depois procurar por ele e celebrar como se estivesse a sair à noite; dei por mim a pensar que a bifana que como na roulotte quando saio do Lux saberá muito melhor, porque finalmente quem cozinha lavou as mãos; dei por mim a pensar que se fizer um cocktail de cebola e alho e me barrar com ele mantenho a distância social de segurança. Também dei por mim a ver o discurso escatológico que fez Jair Bolsonaro e a pensar que há verborreia que nem a Dodot patrocina. Bolsonaro parece a blogueira que ignora esta pandemia como o elefante rosa que apareceu na sala. “A estupidez coloca-se na primeira fila para ser vista; a inteligência coloca-se na rectaguarda para ver”, já dizia Bertrand Russel. ______________________________________________________________ #coronavirus #covid19 #pandemia #quarentena

A post shared by ᴬᴺᴳᴱᴸᴼ ᴿᴼᴰᴿᴵᴳᵁᴱˢ (@angelorodrigues_oficial) on

Tags

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Back to top button
Close
Close