Home / Geral / Susana Fialho agora faz privados

Susana Fialho agora faz privados

 

Susana Fialho quando entrou na ‘Casa dos Segredos 2’ decidiu deixar a noite algarvia, depois de alguns anos a trabalhar como stripper no Hi Class, em Albufeira, e no Teaser, na Praia da Rocha. A jovem tomou essa decisão para agradar a Marco Costa, o seu namorado na altura. Um ano depois a revista TV 7 Dias encontrou a DJ Susy de regresso à profissão nos referidos bares do Algarve.

Na passada madrugada de 7 de novembro, a ex-concorrente da segunda temporada, foi “apanhada” sentada a uma mesa, com mais algumas colegas e diversos clientes. Durante mais de meia hora, a conversa seguiu animada, com Susana e as amigas a irem ao balcão buscar cocktails para os clientes – ao preço de €25 cada!

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

Segundo a publicação, uma hora depois, as bailarinas afastaram-se com os seusacompanhantes – um grupo de ingleses – e levaram-nos, individualmente, para os privados, onde permaneceram durante cerca de 15 minutos. Os preços nas “alas nobres” destas casas começam nos €40 para striptease sem contacto e sobem para €90 se o cliente fizer questão de tocar na funcionária. Porém, podem atingir os €300 se a “dança” no privado se estender por 40 minutos. Uma das cerca de 15 profissionais presentes explicou-nos que todas na referida mesa, com exceção de Susana, são strippers. E que a “ex” de Marco Costa apenas dança para os clientes em privado… depois da companhia (bem regada) à mesa.

De regresso do privado, a conversa seguiu animada na mesa, com mais uma rodada de cocktails, com Susana a ir buscá-los ao balcão e a voltar de mãos cheias para a mesa. Pouco mais de meia hora depois, cerca das 02.30 H, o grupo de seis pessoas desfez-se e Susana afastou-se com a sua companhia para irem jogar bilhar numa mesa ao fundo do bar. E por lá ficaram a jogar, até altas horas da manhã.

No dia seguinte, a revista TV 7 Dias contactou Susana Fialho que, inicialmente, não quis falar. Mais tarde, a alentejana combinou encontro à porta do Teaser e explicou que voltou a trabalhar na noite, mas não nos moldes em que o fazia anteriormente, e só por um motivo. “A minha ideia era continuar a trabalhar como DJ aos fins de semana e montar um negócio com o Marco, depois de ele sair da Casa. Queria fazer-lhe essa surpresa, mas quando ele saiu vi que não eram os planos dele”, conta Susana, que até há pouco tempo quis acreditar que os dois ainda iam reconciliar-se e manteve o compromisso de não trabalhar na noite.

Só que, no mês passado… “Na minha cabeça dei um timing até ao dia do meu aniversário, a 3 de outubro (n.r.: data em que completou 32 anos). Até aí, ia esperar por ele. Decidi que valia a pena e que era com ele que queria ficar. Achei que seria uma fase na vida dele, de loucura, e que ia passar. Nunca mais estivemos juntos e eu decidi voltar.”

De regresso às casas dos seus anteriores patrões, Susana não nega o que a revista presenciou na noite anterior, mas diz que agora há diferenças. “Voltei a trabalhar com os meus patrões, mas não faço o que fazia antes. Era bailarina de striptease, mas agora não, por razões pessoais. As pessoas conhecem‑me e vêm aqui ver-me. Ser conhecida inibe-me de continuar a dançar e a tirar a roupa. Prefiro estar a falar com as pessoas. Elas vão ali para me verem e sabem que ali estou. Os meus patrões têm uma casa de strip, um bar e um dancing. Eu trabalho nos três ramos. Quem me quiser encontrar é ali”, confessa, pela noite fora.

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

Aboliu a dança no varão, mas as conversas com os clientes mantêm-se. E, apesar do que a publicação testemunhou na noite anterior, defende-se. “Nas casas onde eu trabalho não há mais nada do que companhia. As pessoas riem-se, conversam e dançam. A seguir cada um vai para a sua casa”, diz. E acrescenta: “Sabe-se muita coisa. Há muito desabafo. As pessoas vêm aqui e contam-nos a vida toda, é engraçado. Divirto‑me muito com o meu trabalho. Quando não estou a passar música divirto-me também e falo com as pessoas.”

Quando ainda estava no reality show, Susana reconheceu a Teresa Guilherme que havia muitas maneiras de fazer dinheiro na noite. Só não disse quais. “Quando houve essa conversa, eu estava a dizer-lhe que na noite há as acompanhantes, as strippers e as que servem copos, para separar as coisas. Dentro de um clube de strip há muitas formas de ganhar dinheiro. Há pelo menos duas: quem dance e quem não dance e faça companhia.”

A ex-concorrente da ‘Casa dos Segredos 2’ já não dança no varão, mas mantém as conversas com os clientes e agora acrescenta mais um dado novo: “Vim para aqui como DJ durante a semana e ao fim de semana, quando tenho convites para trabalhar noutras casas, vou”, confessa a mulher que se sente desejada no seu local de trabalho. “Eu sempre tive as portas abertas e sempre gostei de trabalhar com eles. São muito amigos das mulheres que aqui trabalham.”

No passado fica irremediavelmente Marco, a quem Susana meteu uma cruz com a mesma certeza que diz que ele não a esqueceu. “Acho que ainda não lhe passou e é por teimosia que ele não volta a estar comigo. A mim já passou, já estou conformada. Estive um ano à espera… Ainda não tive ninguém depois do Marco, mantive a minha esperança acesa.”

E deixa o recado àquele que um dia quis ser pai dos seus filhos e que ela se opôs, e com quem hoje quase não fala. “Deixei a noite por causa dele e fiquei sozinha. Fiquei deprimida e agora estou feliz.” E até quer ser mãe. “Quero ser mãe, mas não com alguém que esteja comigo dois meses e que vá à sua vida. Não ia ter um filho de uma pessoa com quem estava há três meses, que não tinha trabalho nem casa. As coisas têm de ser planeadas. O Marco queria ter um filho, mas um filho não se tem assim.”

Planos para se apaixonar não lhe faltam, só não pode ser na noite. “Eu não quero um namorado stripper ou que trabalhe na noite. Uma relação não é compatível com este tipo de trabalho, pois gera muitos ciúmes. Trabalha-se até tarde, trabalha-se muito com o sexo masculino…” E fica a promessa: “No dia em que eu encontrar alguém que seja especial para mim deixo este trabalho.”