GeralGossip

Tu sabes o que é o amor? Estas crianças explicaram o que é de forma incrível!

Uma plataforma internacional perguntou a um grupo de crianças, entre os quatro e os oito anos, “o que era o amor”. As respostas emocionaram o mundo!

Rebeca, 8 anos: “Quando a minha avó começou a ter artrites não se podia inclinar, sendo que assim já não podia pintar as unhas dos pés. Agora a minha avó pinta-as sempre que quer, mesmo quando começou a ter artrites nas mãos. Isso é o amor!”



Billy, 4 anos: “Quando alguém te ama, a forma como diz o teu nome é diferente. Sabes que o teu nome está a salvo na sua boca.”

Tierry, 4 anos: “O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.”

Dani, 7 anos: “O amor é quando a minha mãe faz um café ao meu pai e prova-o antes de lhe dar, para saber que o sabor está bom.”

Emilia, 8 anos: “O amor é quanto te beijas o tempo todo. Logo quando te cansas de beijar, mas ainda assim queres estar com essa pessoa, conversam e tudo ficam bem. Os meus pais são assim. São horríveis quando se beijam”.

Bobby, 7 anos: “O amor é o que está presente na tua casa no Natal, só tens de deixar de olhar para os presentes e ouvi-lo”.

Nikka, 6 anos: “Se queres aprender a amar o melhor que podes fazer é começar a amar alguém que odeias.”

Noemi, 7 anos: “O amor é quando dizes a uma pessoa que gostas da sua camisola e ela passa a usá-la todos os dias”.

Tommy, 6 anos: “O amor é como um par de velhotes que ainda são amigos depois de se conhecerem bem.”



Elaine, 5 anos: “O amor é quando o meu pai dá à minha mãe a melhor parte do frango.”

Lauren, 4 anos: “Eu sei que a minha irmã mais velha ama-me, porque me dá todas as suas roupas velhas e depois ten de comprar roupas novas”.

Karen, de 7 anos: “Quando amas alguém começam a mover-se as pestanas e começam a sair estrelas de dentro dos olhos“.

Mark, 6 anos: “O amor é quando a minha mãe vê o meu pai no banheiro e não lhe acha nojento.”

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo