Insólito

Tino de Rans quer fazer um filme: Santo António à deriva

Tino de Rans, o calceteiro de 43 anos mais conhecido de Portugal, quer fazer um filme e já tem tudo pronto para começar a gravar.

[adrotate banner=”21″]

A longa metragem chama-se Santo António à deriva, uma produção da “SineTino, Sinetino com S de sino, em homenagem ao sino da minha terra”.

Ao todo, a história do filme são 100 anos, de 1911 a 2012: “É drama e comédia. A história é entre um santo pescador e em que há um pescador em 1912 que vai para a terra nova, para a pesca do bacalhau, e entretanto dois deles perdem-se, e pediram ajuda ao santo. E o santo não sabia nadar, entretanto há um barco muito grande que resgatou os pescadores, que foi o Titanic, dois pescadores, ok? E não resgataram o santo, deixaram o santo para trás. É a história de um santo pequeno, o Santo António, que teve a lutar contra um grande, o Atlântico. E o Atlântico é muito grande o que é que fez? Fez o que todos os grandes fazem aos pequenos. Atacou na parte mais fraca do homem que é a cabeça do santo. O santo sem cabeça não conseguiu chegar ao menino, que é a parte mais fraca da sociedade. Essa é a história, a história de um grande contra um pequeno“.

Quanto ao elenco, Tino promete muitas surpresas: “Muita gente, há atores conhecidos, posso dizer que há pessoas que aparecem em televisão todos os dias”. O guião já está completo “O guião está escrito, está prontinho. (…) Demorei 871 dias a escrever o argumento”.

O calceteiro acrescenta ainda: As personagens principais do filme vão ser obras de arte mas também vamos ter pessoas. Quanto aos atores, Tino de Rans não quer castings para a sua escolha: Não fiz castings, há muita gente com talento para entrar em qualquer filme, apenas precisa de oportunidades”.

[adrotate banner=”21″]

Tino, apesar de querer ingressar no cinema refere: “Calceteiro serei sempre, é a minha arte, é a minha profissão”.

 

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo