Geral

PERIGO! Ângelo Rodrigues confessa: “Hoje quase faleci duas vezes…”

Esta sexta-feira, dia 31 de Janeiro, Ângelo Rodrigues deixou mais um longo texto na sua página do Instagram, referente à sua viagem na Jordânia.


Bem, quase faleci duas vezes hoje. A uns tímidos quilómetros da monumental Petra está a sua sobrinha mai nova. “Little Petra” foi assim que a baptizaram”, começou por revelar o ator da SIC.

Ângelo explicou que “Quando chego às traseiras percebo que a “entrada” era apenas metafórica. Está à minha frente um imenso calhau que impõe respeito. Este colosso de cara derretida não está aqui para brincadeiras. Estou bem consciente da minha insignificância neste momento. Os nossos papéis sociais estão bem definidos, não há dúvidas de quem é o macho alfa aqui. Estou bem ciente de que sou o Marques Mendes da relação, uma pulga diante daquele rinoceronte enfurecido”


Ao longo do seu texto, que provavelmente vai dar um livro o ex-companheiro de Iva Domingues prossegue: “Avanço pé ante pé tentando não fazer cócegas àquele gigante. Quando dou por mim, estou a 25 metros do chão. “Não-olhes-para-baixo-não-olhes-para-baixo-não-olhes-para-baixo-olha-para-baixo-olha-para-baixo-olha-para-baixo-porra!-já-estou-a-olhar-para-baixo-ó-meu-deus-como-isto-é-assustador-fuuuuuuuuck!”.

“A minha respiração entra em trabalho de parto e peço ajuda ao Khalid, o meu novo grande amigo. Ele estica a mão e eu agarro-a como se toda a minha vida dependesse disso. Uff! Ainda não foi desta. No final, dei-lhe uma gorjeta equivalente ao que eu achava que a minha vida valia. Então dei-lhe 5 euros, que os tempos estão difíceis para toda a gente”, rematou Ângelo Rodrigues.


View this post on Instagram

Hoje quase faleci duas vezes. A uns tímidos quilómetros da monumental Petra está a sua sobrinha mai nova. “Little Petra” foi assim que a baptizaram. Pois é, a originalidade abunda por estes lados. Neste meu último dia antes de partir para Shobak e dormir no “smalest hotel in the world”, sabia que tinha de me fazer à estrada antes que a noite caísse. A sério, o clima na Jordânia é como uma finta do Quaresma, imprevisível. • Umas pingas de chuva teimavam em atrapalhar-me os planos. O segurança não me quer deixar entrar, até porque a chuva alagou o espaço. Por razões de segurança, terão de evacuar a zona. A tempestade terá de sossegar primeiro, e talvez fosse mais rápido tirar uma senha e ser atendido na segurança social numa loja do cidadão das Laranjeiras do que entrar ali. Fico com cara de Kristen Stewart e tento conversar com a minha frustração. Ali dentro estava algo que eu fazia mesmo questão de visitar. • Espero numa loja de souvenirs sem saber exactamente com o que contar. Ficar a ver turistas histéricos enquanto compram ímanes para exibirem nos frigoríficos lá de casa não era propriamente o meu sonho de viagem. Tinha o feeling que ainda conseguiria entrar, então aguardei. Aguardei com a paciência de um jogo de xadrez que agora começara. Não obstante, tenho um pequeno probleminha com autoridade e achei desagradável a abordagem do senhorzinho. • Sinto um toque no meu ombro. Não é o segurança, é um puto de vinte anos que conhece uma entrada nas traseiras que não é vigiada. Registo aquela informação como se fosse a coisa mais normal do mundo, mas borbulho de excitação. Caminho atrás dele lentamente com um letreiro afixado na testa a dizer “CULPADO” e rezo para que ninguém perceba. • Quando chego às traseiras percebo que a “entrada” era apenas metafórica. Está à minha frente um imenso calhau que impõe respeito. Este colosso de cara derretida não está aqui para brincadeiras. Estou bem consciente da minha insignificância neste momento. Os nossos papéis sociais estão bem definidos, não há dúvidas de quem é o macho alfa aqui. Estou bem ciente de que sou o Marques Mendes da relação, uma pulga diante daquele rinoceronte enfurecido. [continua nos comentários]

A post shared by ᴬᴺᴳᴱᴸᴼ ᴿᴼᴰᴿᴵᴳᵁᴱˢ (@angelorodrigues_oficial) on

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo