Joana Amaral Dias revela experiência “assustadora” com filho adotivo

Recentemente, Joana Amaral Dias adotou o pequeno Dinis, de dois anos, com quem fez uma viagem a Cuba.


No entanto, aquilo que era para ser uns dias de descanso, terminou numa “experiência assustadora”. “Porque fomos para Cuba e levei um papel do tribunal para comprovar que ele [Dinis] está à minha guarda, e acreditam que saí da Europa, entrei em Cuba, saí de Cuba, voltei a entrar na Europa sem nunca me pedirem esse papel. Dá que pensar. Fiquei assustadíssima”, revelou em conversa com Manuel Luís Goucha e Maria Cerqueira Gomes.

O apresentador, acrescentou ainda que “Podias ter trazido uma criança à vontade.

“Quando o Vicente era pequeno, como sou separada do meu primeiro casamento, tinha que levar um papel a dizer que ele [ex-marido] autorizava. E acho que me pediram sempre esse papel, por isso desta vez para mim foi chocante“, concluiu.


View this post on Instagram

Sabiam que é facílimo traficar crianças na Europa? É canja. E é escandaloso. Certamente que todos já ouviram falar sobre este crime hediondo e os supostos esforços da União Europeia para o combater. Contudo, da minha experiência, só posso dizer-vos que é tudo treta. Como alguns saberão adoptei um bebé de dois anos. Manda a lei que só depois de seis meses da criança estar com os pais adoptivos seja decretada a adopção plena. É a situação em que nos encontramos. Ou seja, durante esta fase para viajar com o Diniz tenho que levar o seu passaporte (onde ainda constam os nomes dos pais biológicos) e um documento emitido pelo tribunal que me declara curadora do menor. Assim, ao sair e entrar do país, os Serviços de Estrangeiros e Fronteiras confirmarão que embora não seja mãe “oficial” do menino, sou sua tutora legal. Muito bem. Sucede que este mês viajámos para Cuba via Madrid e nem uma única vez (a sair de Espanha, a entrar em Cuba, a sair de Cuba ou a entrar em Espanha ) me pediram o referido documento do tribunal. Portanto, o Diniz tanto podia estar à minha guarda como não estar. Podia estar a ser traficado para exploração laboral, sexual, ou outra coisa qualquer que nunca nenhuma autoridade mostrou qualquer interesse. Repito – no passaporte dele está o nome da mãe e do pai biológicos. Isto é inacreditável. Supostamente até pais divorciados têm que levar uma autorização do outro progenitor e, todavia, eu sai e entrei no Espaço Schengen com um menor que, no passaporte, não é meu filho, nem sobrinho nem coisa nenhuma, sem qualquer pergunta ou resistência. Alô, Europa! Está aí alguém?!🧐 . . . . . . . . #instapic #instadaily #insta #girlpower #jad #joanaamaraldias #instagood #instagram #instafashion #instagramer #instagood #instapic #instastyle #instamakeup #instagramhub #instagirl #amor #love #instaphoto #instamoments #bikini #instamood #likeforfollow #likeforlikes #tagsta #life #child #children #family

A post shared by joana amaral dias (@joanaamaraldiasoficial) on