Jessica Athayde comeu a placenta. O resto secou e emoldurou

Jessica Athayde chocou tudo e todos quando disse há uns meses que tinha comido a placenta do primeiro filho, Oliver.


Agora abordou novamente o tema quando esteve na Rádio Comercial à conversa com Rui Maria Pêgo e Ana Martins no programa Era o Que Faltava.

Ela confessou que depois de ter assumido ter comido a placenta, diz que recebeu «montes de mensagens de mulheres que gostariam de fazer a mesma coisa».

«Não sabe a nada», disse, explicando que a placenta «saiu do hospital no mesmo dia [em que a atriz] dentro de uma lancheira da praia, daquelas azuis e brancas». «Precisei de uma série de autorizações. Dizem que é ilegal, mas não é», referiu.

O método inclui «uma desidratação da placenta», depois é transformado em «cápsulas», e foi isso que ela ingeriu. Existe ainda gota para a mãe e filho, mas isso ela garante que nunca deu ao Oliver, «nem eu as experimentei. Acho graça ter ali as garrafinhas a dizer placenta».


Revelou ainda que o que esse órgão foi «impresso». «Secou e está uma verdadeira obra de arte», sublinhou. O próximo passo é emoldurar. Saca o podcast aqui.