Home / Geral / Inglês morre após dançar ‘Gangnam Style’, o êxito de Psy

Inglês morre após dançar ‘Gangnam Style’, o êxito de Psy

Um britânico com 46 anos sentiu-se mal depois de dançar ‘Gangnam Style’, o êxito do sul-coreano Psy. Com fortes dores no peito, Eamonn Kilbride, que participava numa festa de Natal num bar, foi vítima de uma paragem cardíaca. Médico espera que este caso sirva de alerta para pessoas sem preparação física.

Eamonn Kilbride morreu na passada semana, depois de se sentir mal, com fortes dores no peito, provocadas pelo desgaste físico, ao dançar ‘Gangnam Style’, êxito do sul-coreano Psy, segundo informa o jornal britânico The Telegraph.

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

Eamonn Kilbride morreu no sábado, num bar em Inglaterra, durante uma festa de Natal. Estava com a esposa e amigos. Apesar da rápida assistência que recebeu dos paramédicos, foi declarado morto logo depois de chegar ao hospital.

A mulher revela que o britânico era a “alma de qualquer festa”. Estava sempre a divertir-se e, nessa noite, esteve durante algum tempo em cima de uma coluna de som, a animar o ambiente. Terá excedido os seus limites e sucumbiu ao esforço.

‘Gangnam Style’, o hit do sul-coreano Psy, pôs o mundo a dançar. No entanto, segundo um cardiologista e consultor da Universidade de Newcastle, Bernard Keavney, as pessoas devem adotar alguns comportamentos de prevenção, já que este tipo de coreografias exige grande esforço físico, nem sempre recomendável, sobretudo no caso de pessoas com problemas cardíacos ou com hábitos sedentários.

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

Também as pessoas com alguma idade devem impor limites. O professor e cardiologista lembra que esta morte deve servir de alerta que não estão preparadas para acompanhar músicas como ‘Gangnam Style’, fisicamente muito exigentes.

“Estes casos são raros. No entanto, tal como sucede em qualquer outro tipo de exercício, as pessoas devem ser comedidas. Não digo que as pessoas devem evitar dançar ‘Gangnam Style’ durante as festas, mas quem não está habituado a fazer exercício físico vigoroso não deve fazer um grande esforço”, explica o cardiologista.