Escola britânica incentiva aluno a escrever uma carta de suicídio

Era preciso fazer uma redação e os professores decidiram apelar à criatividade dos adolescentes. Mãe mostra-se indignada após ter pensado que filho se tinha suicidado.

Aconteceu no Reino Unido, numa escola secundária da cidade de Staffordshire. A tarefa dos alunos era a elaboração de uma redação. O objetivo dos professores era que fossem criativos, procurando ao mesmo tempo que abordassem um tema dos tempos modernos.


Pois bem, Wesley Walker, de 14 anos, pôs mãos à obra, mas dali saiu algo aterrorizador. O jovem escreveu uma redação, para a sua mãe, a despedir-se, afirmando que se ia suicidar:

Estou a escrever isto para te dizer adeus e para agradecer por me teres dado vida. Por favor, não chores. Sê forte por mim”, foram algumas das frases escritas pelo rapaz, que pediu ainda um favor para o seu funeral: “Quero lembrar-te dos momentos bons e felizes. No meu funeral, faz com que todos estejam presentes vestidos com cores vivas, como a minha personalidade”, escreveu.

Como despedida, no final, o jovem britânico desenhou um coração e alguns beijos: “Muito amor, de Wesley”.

Vicki Walker, a mãe, ficou aliviada ao perceber que tudo não passava de um trabalho da escola, mas antes disso apanhou um susto de morte: “Ele entregou-me a carta e subiu para o quarto. Só a li passados alguns minutos, depois, quando subi as escadas, pensei que ia encontrá-lo morto na cama”, refere a progenitora, ainda assustada com a situação.

A mãe confrontou os responsáveis da escola de Staffordshire, que já vieram pedir desculpa publicamente. Contudo, um porta-voz afirma que não vê problema algum neste caso, visto que o objetivo era trabalhar a capacidade criativa dos alunos.