Home / Geral / Cristina Ferreira conta como nasceu o protejo que a TVI recusou e colocou a SIC como líder
Cristina CoMvida

Cristina Ferreira conta como nasceu o protejo que a TVI recusou e colocou a SIC como líder

Cristina Ferreira revelou hoje através do seu blog como nasceu o programa da Cristina e que é líder desde 7 de Janeiro e tem deixado a TVI na lama.


O projecto foi aposentado à TVI em meados de 2018, e chamava-se “Cristina CoMvida”. A TVI não quis o projecto e a apresentadora viu a SIC a acolher a sua ideia.

É certo que o nome mudou, mas a a essência e o formato manteve-se como ela idealizou.


«Hoje não é dia 7, não celebramos nada, nem sequer é especial. Ou talvez seja. Por tudo o que acrescentou. Desde o dia 1, ou antes. Antes de tudo começar. Há um ano tudo era diferente. Nem sequer sei o que estava a fazer. Ou melhor, sei. Estava a gravar o Apanha, a fazer o Você na TV, a fazer caminhadas na Ericeira, produções para o blogue, o Tiago na escola, em casa. Mas tudo era diferente. Eu já sabia que ia mudar. Sem saber que ia para a SIC. Longe até de imaginar que isso ia acontecer. Mas eu sentia a mudança. Sempre fui assim, capaz de antecipar o que vai acontecer. Ou ver para além do que já existe. Podia ter ficado tudo igual. E eu estaria aqui. Exactamente no mesmo sofá onde escrevo este texto. Mas não seria isto que escreveria. Porque as páginas que mudei no livro da minha vida alteraram tudo.


Olhando agora para aquele tempo percebo a força do querer. Foi porque eu quis que tudo aconteceu. Talvez já tivesse escrito estas linhas no dia em que alinhei um programa de sonho, há 4 anos, que se chamava Cristina coMvida. Era o Programa da Cristina. Só nos enganámos na morada, João Patrício. O endereço estava errado, mas o “sonho” estava destinado. A casa é como imaginámos. O primeiro convidado entrou ao telefone. O vizinho mudou de nome. Mas estava tudo lá. Guardado numa gaveta. A vida encarregou-se de nos dar a chave. A nós. Tínhamos a cópia. A mesma que anda agora na tua mala. Para não nos esquecermos que fomos nós que definimos o destino. Fui eu que avancei. Disse-te primeiro que tinha chegado a hora.


Agosto de 2018. Não tivemos a certeza que era o momento. Ou tivemos. Pouco tempo depois vinhas. Sabias também que era chegada a hora. O destino é melhor do que sonhámos. Ou então tínhamos imaginado pouco. Coisa rara em nós. Hoje, aqui neste sofá está a loira daquela capa. Menos loira. Mais. Mais tudo. Foi difícil. É difícil. Mais pesado. Mais amado. Mais desgastante. Mais. Tudo mais. Quando construímos o nosso futuro ninguém nos tira nada. E há tanto mais. Só não está escrito. Ou melhor, no papel. E até sabemos quem está no lugar do primeiro convidado.», escreveu Cristina Ferreira no seu blog.

Cristina CoMvida