GeralSecret Story 3

Cátia: pobreza envergonhada

A vida de Cátia mudou muito. Mas não foi por causa do reality show. Na realidade, foi Márcio, o marido, que lhe alterou o destino, regatando-a da vida de pobreza em que se encontrava, em casa dos pais. 

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

A habitação, pobre, foi sujeita a pequenas obras, com o dinheiro que Cátia ganhou, na Casa dos Segredos 2. Nada sobrou e o cenário de pobreza, envergonhada, mantém-se. “A Cátia aceitou ir para este Desafio Final porque tem o sonho de ser actriz. Mas claro que também foi por causa do dinheiro, que faz falta”,  admite à TV Guia Márcio Matos, marido de Cátia, com quem tem uma filha, Laurinha, de mês e meio. O jovem, empregado num bar em Albufeira, estava em casa dos sogros, onde a bebé tem ficado, aos cuidados da avó, Manuela.

A minha mãe trabalha, por isso esta avó acaba por ter mais tempo para tomar conta da Laurinha”. Ouve-se o choro da bebé. O pai mostra-se feliz e explica: “A nós e à bebé nada falta. Eu tenho o meu trabalho e a minha casa, em Albufeira, onde vivemos. Os meus sogros, sim, têm dificuldades. O grande apoio é o meu cunhado, André, que trabalha como mecânico”, admite.

Aliás a chegada de Laurinha foi um dos momentos mais felizes da vida do jovem casal. “A Laurinha é tudo para mim e para a Cátia. Está linda e grandinha, já mede 52 cm e pesa mais de 4 quilos. Por ela fazemos tudo”.

Os pais de Cátia já viveram bem. A mãe tinha uma loja de artesanato, O pai emprego certo. Mas o chão fugiu-lhes, debaixo dos és, há cerca de quatro anos. João foi despedido. Manuela deixou de conseguir suportar a renda do estabelecimento, devido ao fraco negócio. E agora, nenhum trabalha. João Palhinha não recebe qualquer subsídio. A mulher, Manuela, vai fazendo trabalhos eventuais, como promotora, em supermercados. O que é cada vez mais raro. Desde que conheço a minha sogra que não me lembro a última vez que teve um trabalho. Isto aqui no Algarve anda muito mau”, confidencia Márcio.

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

Com a família vive ainda a avó de Cátia, Teresa, de 92 anos. “Graças a deus está viva e bem”. Contudo, a senhora está acamada. É com o rendimento do filho, André, com a reforma da idosa e com um complemento de reforma para terceira pessoa, por cuidarem da idosa, que os pais de Cátia sobrevivem. Além disso a família está sinalizada pela Segurança Social. São regularmente visitados por assistentes sociais e recebem os chamados subsídios eventuais a famílias em carência.

A comida vai chegando à mesa. Mas o Banco Alimentar contra a Fome já é uma hipótese. “Para dizer a verdade, por acaso estava agora a pensar nisso”,  desabada Márcio. Os pais de Cátia são um pouco relutantes em pedir ajuda. “Eles são um bocado orgulhosos. Não pedem e vão comprando do mais baratinho. E assim vão andando. Basta haver um prato de sopa na mesa”. Márcio elogia ainda os esforços que os sogros fazem, para conseguir trabalhar: “A minha sogra é uma lutadora. E o meu sogro também tenta tudo. Mas infelizmente a situação está assim. Ele bem tem procurado mas não há”, confidencia.

TV GUIA

 

Artigos Relacionados

3 Comentários

  1. És um triste… impedir pessoas de comentar a tua página apenas porque não gostas do que te escrevem… triste. triste e mais triste!!!! Mas deixa lá, para cada S. Martinho há-de chegar o seu porco ;)

  2. E excusado será dizer que não vais aprovar o comentário. é o que dá um puto/adolescente como tu ter 200.000 likes na página… mas põe-te fino que a ERC anda de olho! Kisses!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo