Home / Gossip / Tony Carreira reage às acusações de fuga ao fisco

Tony Carreira reage às acusações de fuga ao fisco

A TV7Dias colocou nas bancas mais uma edição da sua revista e tem Tony Carreira na capa porque alegadamente terá fugido aos impostos. Queixinhas feitas por um antigo funcionário.

Rapidamente a Regi Concerto em representação de Tony Carreira, reagiu com um comunicado onde nega quaisquer fuga aos impostos e garante «Alguém que se queixou às escondidas, foi depois procurar quem divulgasse a existência da queixa. Só isso (…) O resto está a ser tratado nos tribunais. E que fique claro que não irá haver quaisquer contemplações para quem, como autor ou como cúmplice, tentou, desta forma abjeta, por em causa a honradez e a integridade de Tony Carreira, através de um aproveitamento sujo da sua popularidade,” disse.

Comunicado

Na sequência da “notícia” difamatória e panfletária publicada hoje num órgão de comunicação social, com chamada de capa, a Regi Concerto, em representação do cantor Tony Carreira, vem esclarecer:
1) É completamente falso que o cantor Tony Carreira tenha “fugido ao fisco” seja com entidades públicas ou privadas com quem contrata, deixando de pagar os seus impostos em Portugal, assim como é totalmente falso que o Tony Carreira seja ou tenha sido, direta ou indiretamente, titular de qualquer conta bancária situada em paraísos fiscais ou em países com tributação considerada mais favorável. Todo o património que o Tony Carreira tem e que construiu ao longo da vida de sucesso, foi ganho com muito trabalho e dedicação, não tendo este ou os seus filhos e mulher qualquer empresa, sociedade ou rendimento que não esteja sediada(o) em Portugal.
2) Como qualquer investigação rudimentar permitiria apurar, o que existe, apenas, é uma denúncia anónima de caráter difamatório, feita através do site do DCIAP, e totalmente desacompanhada de quaisquer factos concretos e/ou elementos de prova, mas que, ainda assim é obrigatoriamente encaminhada parta a Autoridade Tributária.
3) Alguém, que foi já identificado, escondido no anonimato que o protegia, praticou um crime de difamação, na verdade o único crime que aqui está em causa, perpetrado por via da apresentação de uma denúncia anónima, vaga, sem fundamentos, nem factos, nem provas, totalmente falsa nas suas imputações, que depois difundiu por vários órgãos de comunicação social, visando apenas denegrir o bom nome, a honra e a consideração do cantor Tony Carreira.
4) O que está na base da notícia não passa disso mesmo: uma denúncia anónima, que qualquer pessoa pode fazer contra outra, a coberto do anonimato cobarde.
5) Uma vez que a denúncia existe, compete ao DCIAP confirmar a existência da mesma, bem como a remessa à Autoridade Tributária. Mas, em momento algum, é afirmado que tenha sido aberto um qualquer processo.
6) Na esteira do que já vem sendo tentado, desta vez anonimamente e com a associação de um fraco e desonesto jornalismo, o único objetivo destes atos é atacar o cantor Tony Carreira na sua honra e no seu bom nome, bem sabendo a publicação que a sua divulgação causa mancha imediata seja quem for o visado, para mais, fazendo ressaltar a expressão “fuga ao fisco” em associação ao nome de Tony Carreira.
7) Tony Carreira já agiu judicialmente e irá até às últimas consequências para responsabilizar quer aquele que ao abrigo do anonimato difama e ataca o seu bom nome, quer quem de forma cúmplice, sem preocupações éticas e deontológicas, difunde tais denúncias publicamente, transformando-as em supostas investigações, que não existem.
8) Mas deixa, desde já, bem claro que as imputações efetuadas, pela forma cobarde como foram feitas, são totalmente falsas.
9) Alguém que se queixou às escondidas, foi depois procurar quem divulgasse a existência da queixa. Só isso.
10) O resto está a ser tratado nos tribunais. E que fique claro que não irá haver quaisquer contemplações para quem, como autor ou como cúmplice, tentou, desta forma abjeta, por em causa a honradez e a integridade de Tony Carreira, através de um aproveitamento sujo da sua popularidade.

A Regi Concerto
Lisboa, 12 de Novembro de 2017