Home / Geral / Comunicado das Pastelarias Maria Bolacha

Comunicado das Pastelarias Maria Bolacha

Após o polémico post sobre a discriminação do gerente da pastelaria Maria Bolacha em Famalicão, os responsaveis emitiram um comunicado e ao qual recebi uma resposta com o titulo “direito de reposta”. O artigo que obriga o tal direito de resposta é Direito de resposta de acordo com o n.4 do art.37º da Constituição e do nº1 do Art.24º da Lei n.º 2/99, de 13 de Janeiro (lei de imprensa), mas isso é para a imprensa e não um blog pessoal, mas por cortesia irei publicar.

Na opinião do Dioguinho está está mal, porque mesmo que ande a aborrecer clientes, neste caso o cliente é que disse “eu pago um bolo”, e o tal mendigo profissional estava como cliente e aqui a pastelaria se tinha alguma razão perdeu-a… mas algo não está certo porque os factos são bem diferentes do que a Sra visada contou, quem serão os verdadeiros mentirosos afinal?! Enfim…

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

O Maria Bolacha depois de averiguar o sucedido no passado dia 16 de Novembro de 2012 pelas 22:30 – 23:00h apurou e constatou o seguinte:

No dia em causa, tal como em dias anteriores, entrou no Maria Bolacha de Vila Nova de Famalicão um homem que costuma pedir nas ruas desta cidade. Note-se que o mesmo entrou no estabelecimento em apreço cerca de 2/3 vezes no mesmo dia com um único objectivo: trocar as moedas que “ganha” na rua a pedir, por notas (cerca de 30€ a 40€ / dia); aproveitou ainda para importunar os nossos clientes pedindo-lhes dinheiro alegando “a fome…” Chegou, inclusive, a ser mal criado com os clientes que não lhe davam dinheiro…
Por volta das 21:30 o dito senhor, voltou à loja do Maria Bolacha

[wp_bannerize group=”Geral” random=”1″ limit=”1″]

para trocar mais moedas e pedir dinheiro aos nossos clientes – tendo o responsável de loja pedido ao mesmo para sair, ao que o mesmo anuíu. Passado cerca de uma hora ou duas, por volta das 22:30 – 23:00h, o dito senhor encontrava-se cá fora á porta de entrada do estabelecimento quando uma senhora, nossa cliente saiu e foi aboradada pelo mesmo, tendo-se oferecido para pagar um galão e um bolo. Ora, o responsável de loja – que não se apercebeu deste facto – ao avistar o homem de novo, pediu-lhe para se retirar, pois receava que o mesmo viesse novamente pedir dinheiro aos nossos clientes e tratá-los mal. E foi neste quadro que tudo sucedeu.
Como tal a senhora, nossa cliente, por quem o Maria Bolacha tem todo o respeito, foi ludubriada por um homem que alega ter fome, mas que no entanto troca cerca de 30€ a 40€ por dia no nosso estabelecimento.
De resto, e como é reservado o direito de admissão o Maria Bolacha roga-se no direito de não permitir a entrada deste senhor no nosso estabelecimento com o único intuito de pedir dinheiro aos nossos clientes e assim importunar e enganar os mesmos.

Aproveitamos ainda para dar conta que todos os lojistas do C.Comercial onde se insere o Maria Bolacha também já foram vítimas deste senhor.

Para terminar, e na sequencia do comentário de onde despelotou toda esta “Indignação”, a Maria Bolacha informa que está a considerar a possibilidade de participar criminalmente contra a senhora que publicou tal comentário tendo em conta as expressões empregues e dirigidas que são ofensivas do bom nome e dignidade do responsavel da loja de Vila Nova de Famalicão. Note-se que a Maria Bolacha aceita todas as críticas e opiniões, defendendo a liberdade de expressão, não tolerando contudo, expressões ofensivas do seu bom nome e dignidade.